23 jan

BALÃO GÁSTRICO HIPNÓTICO

Metade da população brasileira está com sobrepeso. Os jovens são os mais afetados, mas há um crescimento entre as pessoas de 45 a 60 anos.

Pessoas com índice de massa corporal acima de 27 e que não respondem ao tratamento clínico ou dietético convencional, pessoas com obesidade leve ou obesidade mórbida que precisam perder um pouco de peso antes de uma cirurgia, são geralmente as que procuram pelo procedimento de colocação do balão gástrico. Esse balão é apenas um estímulo para o emagrecimento, pois reduz a capacidade do estômago provocando a perda de apetite.

A cirurgia bariátrica inicialmente é apresentada como primeira opção para os mais necessitados em perder uma grande quantidade de peso. E nesse contexto, mesmo havendo controversas, o balão é visto como uma alternativa menos invasiva apresentando um tratamento que dura entre 6 meses e 1 ano.

Mas, e quanto à hipnose? Percebe-se que é possível a “colocação” de um balão gástrico hipnótico em pessoas que desejam ou necessitam emagrecer. Contudo, é preciso de cautela e extrema vigilância quanto a esse tema.

Geralmente por desconhecer a diferença entre hipnose e hipnoterapia, o cliente acaba encontrando alguém que realiza o procedimento. Logo, se deixa conduzir justamente por um hipnotista e não por um hipnoterapeuta. Essa situação pode não gerar benefícios ao cliente. Pelo contrário, pode gerar uma imensa frustração.

O hipnotista na maioria das vezes busca realizar o procedimento auxiliando o cliente a entrar em transe. E depois lança no subconsciente dele a sugestão da colocação do balão gástrico. O subconsciente, por sua vez, não diferindo entre o que é real ou fantasia, aceita a sugestão entendendo literalmente que o balão está no estômago do cliente. Com isso a mente começa a agir naquele momento como se uma cirurgia tivesse verdadeiramente ocorrido. Esse processo todo trata-se apenas de hipnose e não é eficiente.

Quando o procedimento é realizado por um hipnoterapeuta, a situação toma um rumo diferente e mais eficiente. De início, o hipnoterapeuta não considera o balão importante. Ele na realidade busca encontrar a real causa que levou o cliente a desenvolver a obesidade. E podem ser várias essas causas: abuso sexual na infância, bullyng, ansiedade, traumas diversos, etc.

Caso a busca pela causa do problema não seja realizada, de nada adianta o balão gástrico hipnótico, pois existem gatilhos mentais no subconsciente do indivíduo que podem disparar a qualquer momento sempre trazendo os mesmos problemas à tona. Sendo assim, depois da causa ser descoberta, o hipnoterapeuta faz o trabalho de ressignificação. Desta maneira, o balão na realidade passa a não ser mais necessário, justamente pelo fato do problema ter sido corrigido. Mas nada impede de depois desse procedimento ele ser instalado somente para atender a um pedido feito de antemão pelo cliente. Nesse caso o resultado positivo que será obtido, não é motivado pelo balão, mas pela ressignificação. O que não se deve fazer é o procedimento direto realizado às coxas à exemplo do hipnotista.

É importante ressaltar que após a realização do tratamento com o hipnoterapeuta, é preciso ter o acompanhamento de um nutricionista e um profissional da atividade física.

error: Conteúdo protegido!
× Fale comigo pelo whatsapp!