07 nov

Alergia

Qualquer alteração no ambiente é acompanhada de uma resposta rápida do sistema imunológico, aí está a alergia. Estas alterações podem estar ligadas à insetos, poeira, cheiro, clima, dentre outras tantas. As suas causas são na maioria das vezes desconhecidas e o tratamento se baseia apenas na redução dos sintomas.

Ás vezes a alergia tem origem no psicológico do indivíduo. Isso é muito comum, porém, a população ainda não tem conhecimento disso e ainda se baseia em diagnósticos clássicos tendo que conviver com o incômodo da alergia por muitos anos. 

Veja um exemplo do problema psicológico: Tomei conhecimento de um menino que não gostava de ir à casa da avó por que lá ele não se sentia bem, era um lugar onde não tinha brinquedo para se divertir e nem com quem brincar, então ele ficava realmente muito incomodado e sempre arrumava uma desculpa para não ir. Mas, não conseguindo evitar, quando ele chegava no local ele começava a se coçar. Essa era uma forma do corpo reagir ao desconforto de estar lá. Depois de ter ido ao médico, ele como profissional da saúde e autoridade em tudo que fala, afirmou que o menino tinha alergia à pêlos de cachorro. Essa “sugestão” dada foi imediatamente aceita pelo subconsciente do menino. Então ele assimilou a ideia e sempre que ia à casa da avó, bastava olhar para o cachorro que ele começava a se coçar. Isso acontecia também em qualquer outro lugar que tivesse um cachorro.

A sugestão de que a alergia era causada por pêlos de cachorro foi tão forte para o subconsciente do menino, que acabou sendo real durante muito tempo na vida dele. Mas na realidade, a emoção atrelada à causa da alergia foi um desconforto gerado na infância por ter que frequentar a casa da avó. E realmente não tinha ligação nenhuma com alergia à pêlos de cachorro. Verdadeiramente era uma causa emocional. E depois que o adulto passou pela hipnoterapia e conseguiu entender isso, ou seja, que era apenas uma desculpa da mente para justificar o desconforto, o problema foi ressignificado e a alergia desapareceu.    

Problemas semelhantes também ocorrem em várias outras situações. Um exemplo prático é quando uma criança é forçada a comer ou beber algo que ela não goste, embora precise. Essa situação pode chegar ao ponto de gerar um desconforto grande que faz a criança passar muito mal. E quando isso chega a acontecer os pais dizem que aquele alimento especificamente não está fazendo bem a ela. E como ela já não gosta, essa afirmação se torna o seu alívio e ela passa a usar isso como uma desculpa racional criando assim, uma alergia ou intolerância ao alimento em questão. Depois de adulto, passando pela hipnose, a pessoa entende que o problema era a sensação e a obrigação em ingerir aquele alimento, e não uma alergia propriamente dita.

Existem muitas outras alergias que podem ser tratadas com a hipnoterapia seguindo o mesmo princípio dos exemplos acima. As mais conhecidas são as alergias respiratórias como a asma, sinusite, rinite e faringite.

error: Conteúdo protegido!
× Fale comigo pelo whatsapp!