07 nov

Alcoolismo

Antes de tudo, se trata de uma doença que merece muita atenção. O diagnóstico de alcoolismo não tem relação direta com o tipo nem com a quantidade de bebida ingerida, mas sim com os prejuízos relacionados ao álcool e a dificuldade em controlar o consumo.       

É bom ressaltar que o alcoolismo atinge pessoas de todos os graus de instrução e situações socioeconômicas. Quem bebe moderadamente não pode ser considerado dependente. A dependência é indicada pelos sinais de abstinência. Esta abstinência fica explicita quando o indivíduo torna a sentir falta do álcool depois de 4 a 12 horas de consumo pesado. Assim ele passa a apresentar tremores, desespero, náuseas, irritação, sudorese, diarreia, insônia e ansiedade. Os dependentes crônicos podem ter alucinações, delírios persecutórios, confusão mental e tremores marcantes. Esses sintomas são tratados com medicamentos, mas a hipnoterapia pode fazer isso ser evitado se buscada a tempo.

Várias são as consequências do alcoolismo: convulsões, problemas para dormir, alteração comportamental, humor instável, prejuízo nas relações interpessoais e no trabalho. Sendo assim é necessário buscar a raiz do problema e resolver em tempo hábil com hipnoterapia.

É importante dizer que a hipnoterapia pode auxiliar muito os dependentes do álcool, mas o acompanhamento médico é imprescindível. Enquanto a questão psicológica de se libertar do vício é realizada pela hipnoterapia, os fatores fisiológicos são acompanhados pela medicina. E também, é claro, é fundamental um acompanhamento feito por um nutricionista.

error: Conteúdo protegido!
× Fale comigo pelo whatsapp!